04 janeiro 2017

Ano novo, Vade novo?

Com o início do ano surge a inevitável dúvida: devo trocar meu Vade Mecum?


Nós do CiclosR3 acreditamos que a troca frequente de Vade Mecum é desnecessária e até mesmo pouco indicada. Isso porque o ideal é a utilização do mesmo Vade Mecum durante a sua preparação para os estudos.

Quem conhece o nosso método já sabe: no estudo da lei seca orientamos que sejam feitos grifes de palavras-chave, anotações de informações importantes, bem como seleção de artigos e súmulas mais recorrentes em questões, registros que restariam descartados com a troca anual do Vade Mecum.

Ademais, a memória fotográfica também ficaria prejudicada, ainda que o conteúdo seja o mesmo.

Evidentemente, para manter o mesmo Vade Mecum é necessário atualizá-lo.

Atualize o seu Vade Mecum através de anotações, folhas de leis novas grampeadas ou através da leitura dos dispositivos atualizados em um novo Vade Mecum (alguns trazem as novidades legislativas em cinza, de modo que após a leitura do seu velhinho, você lê apenas esses grifados no novo).

Outra importante fonte de atualização é o indispensável site Dizer o Direito onde encontramos comentários sobre as novidades legislativas mais importantes.

Há poucos dias, inclusive, foi disponibilizada gratuitamente nesse site uma retrospectiva das novidades legislativas mais importantes. Sem dúvida, leitura obrigatória não somente para quem está se preparando para algum concurso, mas para todos os profissionais da área jurídica que desejam se manter atualizados: Dizer o Direito - Principais Novidades Legislativas.

Então, vamos nos atualizar, atualizar o Vade Mecum e, sobretudo, resguardar todas as anotações realizadas?

Por: Simone Maia Pinto.


Compartilhar no Whatsapp